Vamos Portugal
Vamos Portugal
Vamos festejar o Divino?: Celebrações em honra ao Divino Espírito Santo na cidade de Ponta Grossa/PR (1882-2015) (Portuguese Edition)
Click Here to view in augmented reality
Este livro apresenta uma análise das práticas religiosas, realizadas em Ponta Grossa/PR, para homenagear o Divino Espírito Santo. Discuto as manifestações ocorridas na Casa do Divino, local que ganhou esse título após Maria Julia Cesarino Xavier ter abrigado em seu interior a imagem da representação do Divino Espírito Santo, uma pomba de asas abertas, gravada em um pedaço de madeira que encontrara em um rio. Assim, essas manifestações estão presentes nessa cidade desde 1882 prevalecendo até os dias atuais. O objetivo central desta obra foi entender as relações que homens e mulheres estabeleceram com o sagrado por meio de manifestações festivas em louvor ao Terceiro Elemento da Santíssima Trindade, perpassando por rituais, símbolos e estruturais sociais. Para tanto, as fontes utilizadas foram: periódicos, programas dos festejos, entrevistas e o processo de tombamento do imóvel (Casa do Divino). A pesquisa encontrou seus alicerces teóricos em Roger Chartier, Michel de Certeau, Pierre Bourdieu, Michel Vovelle e Mircea Eliade.
 
HOT LIDS! Portugal Flag Side View Mirror Country Covers (1 Pair for Cars) for FIFA World Cup and Sports Celebrations with Free Bonus Portuguese 4” x 6” Hanging Flag
Click Here to view in augmented reality
Portugal Flag Side View Mirror Country Covers (1 Pair for Cars) for FIFA World Cup and Sports Celebrations with Free Bonus Portuguese 4" x 6" Hanging Flag
 
A Pronúncia do Inglês Americano - com todas as 1.000 regras da fonologia inglesa (Portuguese Edition)
Click Here to view in augmented reality
AS REGRAS DA PRONÚNCIA DO INGLÊS ENSINADAS EM TODO O BRASILNuma aula de inglês instrumental, em Recife, o aluno Alberto notou que seu professor, João, chamou ORION de ó-ri-on e não o correto o-rai-on. Alberto sabia que ORION era exceção do Sistema Fonológico I/Y + VOGAL, que da segunda sílaba em diante I ou Y soa i átono, como em CONSCIENCE, IDIOM, WARRIOR e ALIEN. Ana, de Campinas, corrigiu a colega de turma, quando ela chamou DECAHEDRA de de-ca-hé-dra. Explicou que, embora a vogal E soasse é no Sistema A E I O U + CONS 2 ( não R ), de BEST, END, BETTER e GENTLE, o Grupo HEDR de som hídr prevalece; a exemplo de CATHEDRAL que soa ke-thí-drol. Carlos, de Florianópolis, tirou 9 na prova oral. Só não tirou 10 porque esquecera a regra que diz que na combinação I + CONS 1 + EN, a vogal I soa i de idem, como em THRIVEN e DRIVEN. Logo, RISEN deveria ser dita rí-zen e não rai-zen. Jonas, de Maceió, batendo papo com um mórmom americano, fez uma pegadinha com o missionário James perguntando a ele como se deve falar a palavra TRACHEAE ( traqueias ). Mesmo desconhecedor das Regras Fonológicas Inglesas, porque elas foram sistematizadas no Brasil recentemente, James pronunciou trei-ki-ai e ainda disse que trei-ki-i também é correto. O mórmom acertou o som desse vocábulo por ser mais falado em público do que PSORIASIS ( psoríase ). Sem enxergar nela o Grupo IASIS de som ai-e-zis, o missionário falou sor-ie-ziz erroneamente.Tomás, de Cuiabá, falando em inglês com um vizinho que acabara de voltar dos Estados Unidos, viu que Pedro chamou SWAMP ( pântano ) de suémp. Ou seja, Pedro não sabia que o Grupo WA soa uó, como em SWAMP e WATCH, além de WAS e WATER. A vogal A de SWAMP está no Sistema A E I O U + CONS 2 ( não R ) e deveria soar ae ( entre a e e ) em SWAMP, como em MATCH, FAST e AND, mas o som do Grupo Fonológico WA não permite, salvo em exceções. Em uma conferência internacional, o palestrante, ao ler o texto da oratória, defendendo sua tese, cometeu uma gafe ao falar CONTIGUITY ( contiguidade ) kan-tí-guiti. Como o doutor não tinha o livro com as Regras de Pronúncia, não enxergava o Grupo sufixal UITY de som íuiti e úiti, com a sílaba tônica incidindo em U a exemplo de EXIGUITY, CONTINUITY e ANNUITY. Nessa conferência, outro orador brasileiro errou em inglês. Trocou o som de IMPUGN, pondo a sílaba tônica em PUGN de som pagn. O certo seria piun, pois nessa palavra U é exceção do Sistema A E I O U + CONS 2, em que deveria por regra U soar a de mesa, como em PUNK e LUCK.. O prof. Fernando abriu um curso de Pronúncia do Inglês, em Natal, foi um sucesso. Chegou a matricular mais de 100 alunos. Dividiu-os em turmas conforme a formação de cada um. Numa classe de graduados, aplicando uma prova valendo 100 pontos ( 1 para cada palavra pronunciada corretamente, de acordo com as 1.000 regras da fonologia inglesa ), Fernando verificou que as notas foram altas demais pelo fato de que a prova era para alunos de grau médio. Nesse Teste, todos acertaram FLOOR ( flor ) e FLOOD ( flâd ) , exceções de OO, que, por regra, soa u, como em BOOK, MOON e SOOTHE. Acertaram também o som de BROAD ( bród ), exceção do Grupo OA, que, por regra, soa ou, como em ROAD, GOAT e FOAM. Já a palavra EXTEMPORANEITY ( extemporaneidade ), apenas 1 aluno constatou a presença do Grupo EIT de som it, como em DECEIT, mas por conta da termnação proparoxítona CONS 1 + Y ( em não verbos ) teve de chamar EXTEMPORANEITY de iks-tem-po-re-ní-i-ti, assim como em SPONTANEITY. Ainda contou aos colegas que a vogal A no Sistema A E I O U + CONS 1 + E/I + VOG não soaria ei, como em RADIO, FACIAL e STADIUM porque E de EITY soa i de dia, e, por ser um som de Grupo muito tônico, naturalmente, abafa o som tônico do Sistema. Sempre o som do Grupo ganha a disputa fonológica com o Sistema.O Brasil fala Inglês com as 1.000 Regras da Fonologia Inglesa, e VOCÊ?
 
Vamos conseguir pagar a nossa Dívida Pública?: O que devemos fazer? (Portuguese Edition)
Click Here to view in augmented reality
Norberto Rosa considera imprescindível garantir que, nos prospetos de emissão de dívida pública, se possa afirmar – “A República Portuguesa, desde a sua criação, sempre honrou os compromissos assumidos por Portugal perante terceiros relativamente às responsabilidades com a dívida pública”.A reputação do devedor é fundamental para permitir o acesso aos mercados em condições favoráveis.Essa reputação ganha-se com um enquadramento legal adequado, com um historial de bom pagador e com a comprovação da capacidade do Estado gerar recursos necessários para fazer face aos seus compromissos futuros.Ao longo do texto demonstra-se que o elevado valor da dívida pública já atingido dificulta, mas não impossibilita o cumprimento do último requisito essencial para garantir a confiança dos credores.
 
Custom Search
Vamos Portugal

Search
Vamos Portugal

Deals
Vamos Portugal
 
vlrPhone
vlrFilter

Project of very low consumption, radiation and bitrate softphones, with the support of the spatial audio, of the frequency shifts and of the ultrasonic communications
Multifunction Audio Filter with Remote Control
More Information
Free the Animation VR
AR

Play to reveal 3D images and 3D models
More Information

WhmSoft Moblog
Copyright (C) 2006-2018 WhmSoft
All Rights Reserved